Descubra se ele gosta de você | Sedução

Rate this post

O olhar

Mírala os olhos são o espelho da alma. E a forma de entornarlos, o reflexo de suas intenções. “Se você olha para os olhos e a boca, é um bom sinal”, garante Alberto Hidalgo, psicólogo e autor de “Psicologia e Sedução”, além de ser autor do blog de Men”s Health “O Grande Sedutor”. “Se você olha de forma rápida e desvia seus olhos quando fazeis contato visual, mais pontos ainda.” Veja detalhes muito sutis: se lhe brilham os olhos e se lhe dilatam as pupilas, ou se envergonham e inquieta quando falais; trata-se de gestos inequívocos de que mais do que tilín, lhe faz toulon toulon.

A posição de seu corpo

Lembra-se da máxima: “a proximidade figurada se mostra literalmente”. “Quanto mais próximo estiver o seu corpo sobre o teu, muito melhor”, diz Hidalgo. “Especialmente se os seus lábios estão próximos dos teus”. Mais gestos que presagina um triunfo iminente: se você se agarra a cintura, e senta-se em cima de ti. Mas cuidado, não se emoções. Antes de tirar conclusões precipitadas, verifique se ele faz isso, apenas você ou se, pelo contrário, a menina é mais doce do que um doce de morango. Tenha em conta que há pessoas que simplesmente gostam de contato físico. “Se se mostra o corpo de lado, é menos provável que você quiser”, acrescenta o psicólogo. Em contrapartida,” se você faz o espelho, a coisa muda”. E para o bem. “É dizer, que se imita e muda de posição quando tu mudares a tua”, esclarece Hidalgo.

As amigas

A atitude das meninas que a rodeiam também pode conter informações valiosas sobre o que a ti te interessa. Coloque a orelha: note-se cuchichean coisas sobre ti e sorriem alegremente quando te olham. “Se tudo correr bem, as amigas vão tentar vendê-lo, destacando suas qualidades e deixando-o a sós com ela”, diz Alberto Hidalgo.

Observa se age com a cabeça

Ou melhor, o grau de inclinação de sua testa. Mas esqueça a esquadra e o chanfro: não há necessidade de entrar tão técnico. Você só tem que estabelecer se “olha, inclinando a cabeça para o lado ou movendo-a de um lado para o outro, mostrando o pescoço”, como informa Alberto Hidalgo.

As carícias

O fato de que “se faça uma carícia ou te tocar, mesmo que seja um pouco”, é um bom sinal. O teste do algodão: tócale discretamente um braço. Se ela faz o mesmo (venha, que te dá um jeitinho logo depois do seu), as chances sobem como a espuma. Estuda também se acaricia o cabelo, os braços ou as mãos enquanto fala com você. Em caso afirmativo, vá cambiándote de roupa interior: triunfas fixo.

A trajetória da fumaça

De cigarros, entende-se. Se essa menina que te leva para o caminho da amargura dá à nicotina, olhe bem para onde lança o fumo: “o ideal é que você dê a fumaça para cima, enquanto você olha em áreas não neutras como boca, cabelo e peito, ao mesmo tempo em que mostra a face anterior do pulso, enquanto segura o cigarro”, disse Hidalgo.

Suas palavras

Sua forma de agir quando fala contigo também pode ser lançado poderosas pistas sobre suas possibilidades. Tudo se resume a um par de coisas: interesse e justificativa. Fique com a música e inscreva-se um tanto, se faz perguntas interesándote por ti e tua vida. “Se você tem irmãos”, diz Alberto Hidalgo, “e, sobre tudo, como você fez com as antigas namoradas.” O não vai mais seria que começasse a sorrir, fazer piadas e chamar as coisas. Mas de muito bom humor. No plano apelidos como “tontito”, “chiqui”, “pequena”, “mau”, “golfo”. Quanto às justificativas, lembre-se que este latinejo: “excusatio non petita, accusatio manifesta”. O autor de Psicologia e de Sedução é ilustrado com alguns exemplos: “está contigo e você vai ir para outro lugar (ao serviço, ponhamos por caso) e se diz que volta logo, que não vá. Ou vai sair com um amigo e, sem perguntar nada, você diz que é só um amigo, que a ela não gosta”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *